Atlantic-Bangor

antes... Carson City-Atlantic

   
    Dormi razoavelmente, mas acordei, de novo, com aquele maldito mal estar. O Delfim telefonou de Bangor e disse-me que o tempo estava bom. Pensei, tens que ligar o “turbo” e arrancar embora isso te custe os olhos da cara.
    Saltei da cama, arranjei-me e tomei um magro pequeno almoço, pois o apetite era zero. Fiz o plano de vôo via telefónica, bastante complicado por sinal e fui para o aeroporto, levado pelo Bob que fez questão de me prestar mais esta amabilidade.
    À chegada tinha uma jornalista para me entrevistar. Como os jornalistas, nestes países, têm a mania da Aviação!!

    Recebi a autorização de vôo pelo telefone e deram-me 20 minutos para estar no ar. Disse-lhes que era paraplégico e lá consegui 10 minutos extra.
    Descolei e logo a seguir já tinha o Centro de Controle de Minneapolis a dar-me instruções de vôo. É de facto um prazer voar nos EUA. Queria passar a sul de Chicago (Illinois) para evitar o grande movimento e o mau tempo. Recebi, posteriormente, do Centro de Controle de Chicago, instruções para passar mais a sul daquilo que tinha previsto. Lá apanhei o mau tempo que esperava e a certa altura a chuva era tanta com a temperatura exterior negativa que, resolvi (para evitar a formação de gelo) pedir para descer de 9000 pés para 7000 pés. Todavia, como a situação permanecesse na mesma, voltei a pedir para descer para 5000 pés, o que só 20 minutos depois me foi autorizado. Aí permaneci bastante tempo.
    O vento parecia pedido por encomenda. Cheguei a andar a 185 nós, o que significa uma componente de cauda de cerca de 40 nós.
    Achei uma beleza os estados de Indiana e Ohio; quando me aproximei de Detroit, pelo sul, o controlo deu-me um vector radar directo a Erie, o que me fez , sobrevoar o lago Erie. Este lago distribui-se ao longo dos estados de Ohio, Pensilvânia e Nova Iorque.

    A paisagem era linda, pena foi que a bruma existente não me permitisse vê-la como desejaria.

    Voando mais para este, passei a sul do lago Ontário, no estado de Nova Iorque, atravessei as Montanhas Apalaches e entrei então no estado do Maine, aonde finalmente aterrei no meu destino - Bangor.
   
    O Delfim estava à minha espera. Fomos para o hotel e depois jantámos num restaurante mesmo em frente (já nosso conhecido) uma óptima refeição.



António Faria e Mello

a seguir... Bangor-St. John's

 

 
  © Antonio Faria e Mello - Wings of Stubbornness - 2003